quinta-feira, 31 de maio de 2012

SPVS promoverá Evento na Rio+20

31.05.2012


Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável


Ao lado de instituições da América Latina, “Side Event” irá tratar de políticas públicas de mudanças climáticas e desenvolvimento no continente.

A organização da Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável –, que acontecerá no Rio de Janeiro entre os dias 13 a 22 de junho, aprovou uma solicitação da SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental) para realização de um “Side Event” durante a Conferência. O encontro, que foi solicitado em nome da Plataforma Climática Latinoamericana – rede de instituições que trabalham com o tema de mudanças climáticas no continente, da qual a SPVS faz parte – acontecerá no dia 22 de junho.

Os “Side Events” são eventos que constam na programação oficial da Rio+20 com a finalidade de contribuir para os debates da Conferência e demonstrar práticas que acontecem ao redor do mundo e que estão relacionadas aos temas do encontro. Nesse contexto, o Side Event da Plataforma Climática está relacionado às discussões para promover uma economia de “baixo carbono” – o evento abordará a temática de políticas públicas referente a mudanças climáticas, agricultura e outros usos do solo, com base em estudos preparados para 10 países da America Latina - tema ao qual o trabalho das organizações vinculadas à Plataforma tem contribuição relevante. Informações complementares sobre o Side Event podem ser encontradas no seguinte endereço da Rio+20 na internet:

http://www.uncsd2012.org/rio20/index.php?page=view&type=1000&nr=381&menu=126

http://www.spvs.org.br/salaimprensa/ler_noticia.php?i=1164

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O Atol de Midway, próximo ao Havaí, é o símbolo máximo da tragédia que o plástico impinge aos mares.


 
 
Os oceanos ocupam 70% da superfície da Terra, mas até hoje se sabe muito pouco sobre a vida em suas regiões mais recônditas. Segundo estimativas de oceanógrafos, há ainda 2 milhões de espécies desconhecidas nas profundezas dos mares. Por ironia, as notícias mais freqüentes produzidas pelas pesquisas científicas relatam não a descoberta de novos seres ou fronteiras marinhas, mas a alarmante escalada das agressões impingidas aos oceanos pela ação humana.Os cientistas descobriram que a poluição por plásticos, antes restrita a alguns pontos conhecidos, hoje é onipresente nas águas dos mares do mundo inteiro... Isso significa que a substância já responde por 70% da poluição marinha por resíduos sólidos. A primeira vítima dos plásticos que se depositam nos oceanos é a vida animal. Calcula-se que 267 espécies, principalmente pássaros e mamíferos marinhos, engulam resíduos plásticos ou os levem para seus filhotes julgando tratar-se de alimento. O Atol de Midway, próximo ao Havaí, é o símbolo máximo da tragédia que o plástico impinge aos mares. Por capricho das correntes marinhas, o atol recebe diariamente o entulho plástico proveniente do Japão e da costa oeste dos Estados Unidos.
O lixo de Midway provoca a morte de metade dos 500.000 albatrozes que nascem anualmente no atol, os quais confundem plástico com comida. O plástico do tipo PVC, empregado em canos, brinquedos e numa infinidade de utilidades domésticas, pode conter compostos de estanho altamente tóxicos para moluscos e peixes.
Essas substâncias, que chegam ao mar principalmente pela ação das chuvas que varrem os aterros sanitários, causam alterações hormonais que modificam o sistema reprodutivo e diminuem a taxa de fertilidade desses animais.

Para saber mais acesse:http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/conteudo_272127.shtml?func=2

quinta-feira, 24 de maio de 2012

E-CONS: Empreendedores da Conservação



SPVS Sala de Imprensa
Notícias
07.05.2012
 Programa E-CONS – investimento inédito em Empreendedores da Conservação

Iniciativa da SPVS junto com HSBC apoia pessoas que já desenvolvem projetos exemplares voltados à conservação da natureza em todos os biomas do Brasil

A Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) e o banco HSBC decidiram expandir sua parceria que já ocorre desde 2007 e estão lançando um projeto pioneiro em conservação da biodiversidade. Denominado Programa E-CONS (Empreendedores da Conservação), a iniciativa tem a finalidade de apoiar lideranças que já realizam ações inovadoras de conservação da natureza em todos os biomas do Brasil. Aproximadamente R$ 1 milhão será investido em seis projetos, ao longo dos próximos três anos. “É um projeto inovador que aposta na potencialização das atividades de indivíduos que estamos chamando de empreendedores conservacionistas, responsáveis por ações diferenciadas e estratégicas de conservação da biodiversidade e que tenham grande potencial de gerar desdobramentos”, completa Clóvis Borges, diretor-executivo da SPVS.

A experiência prévia entre SPVS e HSBC resultou na conservação de 3,2 mil hectares de áreas com Floresta com Araucária no sul do Brasil e permitiu a busca de um novo desafio: atuar e repetir resultados consistentes em outros biomas, ampliando a iniciativa para todo território nacional. Do trabalho anterior, o Programa E-CONS herdou a metodologia de envolvimento de pessoas como chave para a geração de resultados concretos em favor da conservação da natureza. “Há pessoas no Brasil verdadeiramente interessadas em fazer conservação da natureza. Fazem disso um trabalho em defesa de uma causa de interesse coletivo e também como sua principal atividade profissional”, informa Borges. “São pessoas que exercem um trabalho de grande importância para o país e que precisam ser identificadas e apoiadas”, sentencia ele.

Na primeira fase do programa, serão apoiados projetos desenvolvidos pelo biólogo Jean Pierre Santos para proteção do logo-guará no Cerrado, um trabalho de educação ambiental na Amazônia pelo também biólogo Silvio Marchini, pela zootecnista Gláucia Seixas para proteção de ambientes naturais onde ocorre uma espécie de papagaio no Pantanal e pela proprietária de uma área natural em Curitiba, Terezinha Vareschi, que incentiva outros donos de áreas naturais em ambientes urbanos a seguirem seu exemplo para criação de reservas particulares em meio às cidades. Outros dois biólogos também serão apoiados. São eles Bianca Reinert e Weber Girão, que descobriram novas espécies de aves – respectivamente o bicudinho-do-brejo em área de Mata Atlântica e o soldadinho-do-araripe no bioma Caatinga – e fazem do trabalho de proteção dessas espécies um meio para conservação de seus ambientes.

O Programa E-CONS também está relacionado às metas de manutenção do patrimônio natural previstas por programas governamentais brasileiros e pela Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica, sustentando uma melhor percepção sobre a relação entre a conservação da natureza, a qualidade de vida e a economia. “O HSBC apoia esta iniciativa, pois acredita que é preciso ir além das atividades de negócios tradicionais e por isso, busca implementar uma agenda pro-ativa e parcerias que promovam a sustentabilidade, afirma Cláudia Malschitzky, superintendente-executiva de Sustentabilidade do HSBC . “Além disso, acreditamos que esta iniciativa pode incentivar a participação de outras empresas que também estão preocupadas com a conservação da biodiversidade e que querem promover o desenvolvimento sustentável de baixo impacto ao meio ambiente”, completa a executiva.

“Esse modelo mostrou um dos caminhos possíveis para promover a proteção de espécies e ambientes ameaçados, bem como de toda sua importância social e econômica”, diz Borges, ao lembrar que a conservação de ambientes naturais gera benefícios essenciais para as pessoas e para as atividades econômicas, por meio dos chamados serviços ambientais - como a qualidade da água e do ar, a manutenção de solos, a polinização, novas descobertas (úteis para medicamentos e alimentos, por exemplo), segurança (por meio da manutenção de áreas naturais íntegras em encostas), energia, entre outros. “Por isso, nosso objetivo principal é estimular o incremento de trabalhos como o desenvolvido pelos E-CONS, porque são iniciativas com ampla capacidade de ampliar a geração de resultados e benefícios coletivos”, completa.

E-CONS

O Programa tem à frente a figura dos Empreendedores da Conservação, os E-CONS, pessoas transformadoras e comprometidas com a manutenção do patrimônio natural e, consequentemente, com todos os benefícios que a natureza gera para a sociedade e para as atividades econômicas. A partir das ações que realizam, os E-CONS apresentam uma enorme capacidade de gerar resultados mais amplos, justamente o ponto estratégico de abordagem escolhido pelo programa E-CONS para o apoio concedido, diferentemente de projetos usuais de financiamento de projetos.

“Eles foram selecionados a partir de entrevistas com ambientalistas e pesquisadores que trabalham com conservação da natureza no Brasil”, conta a bióloga Angela Kuczach da SPVS, que, após as indicações recebidas, foi a várias regiões do Brasil verificar como esses projetos se adequavam a critérios do Programa E-CONS. “Entre esses critérios estão o comprometimento de pessoas para geração de resultados efetivos em conservação da natureza e que tenham expectativas de expansão de suas ações, contribuindo para a realização de novas iniciativas que gerem mais áreas protegidas ou sirvam de instrumento para impulsionar outras ações de proteção da biodiversidade”, descreve a bióloga. Para o futuro, segundo ela, a ideia é que essa busca por E-CONS continue por meio da identificação de novos empreendedores e da sensibilização de empresas para apoiá-los. “Com uma metodologia inovadora e abrangente, que corresponde às necessidades de conservação da natureza e fortalecimento desse tema no Brasil e no mundo, o Programa poderá ser reproduzido em longo prazo em ampla escala, até que uma grande rede de E-CONS seja estabelecida”, projeta Angela.



 http://www.spvs.org.br/salaimprensa/ler_noticia.php?i=1157

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Ambiente por Inteiro: Uma horta em cada escola é fundamental.


 Uma horta em cada escola é fundamental!

 



 Muita gente deve ter lido o título pensando que estou atrás de uma escolinha ambientalista para meu filho, com hortinha, composteira e espantalho, um sonho idílico medieval, viver do que a terra nos dá etc. Nada disso.
Os pequenos precisam plantar porque lhes falta ainda a capacidade subjetiva para compreender o mundo inteiro, mas poderão fazê-lo por meio de uma metáfora com algo próximo. Nada mais familiar para uma criança do que a comida.
Plantar mostra que as coisas não aparecem do nada. Para chegar à comida, são necessárias várias etapas, todas envolvendo trabalho. Aprenderão também que o trabalho pode ser uma brincadeira.
Algumas escolas, ao contrário, enfatizam a interação com computadores desde tenra idade, o que me parece uma preocupação com um tempo de computadores complicados. Não só eles ficaram mais dóceis, como também têm algo de mágico, basta um clique para tudo aparecer ou sumir. É uma metáfora positiva ?
A conseqüência é que mais tarde vemos na universidade jovens adultos que crêem poder terceirizar seu raciocínio para uma máquina. Não há aqui nenhum discurso anti-computadores, ao contrário: Meu trabalho estaria hoje impossibilitado sem eles. Já pensou escrever uma coluna à mão e mandar para o jornal por correio ? Assim como o dinheiro, computadores são excelentes servos mas péssimos senhores.
E onde fica o ambiente em tudo isto ? Um cidadão que entenda que as coisas não aparecem do nada, mais tarde perceberá que para fazer as coisas do jeito certo precisa trabalhar. O lixo não desaparece da calçada, não se queima combustível fóssil sem conseqüências. Não se usa produtos florestais sem conseqüências. Tudo está ligado, assim como a semente e o alface.
Só as escolas devem ter hortas ? Obrigar nossos filhos a fazer o que não fazemos não é educação, é crueldade. A agricultura deve estar nas cidades porque ela é uma destinação perfeita para os resíduos urbanos, porque melhora a alimentação das pessoas, reduz o impacto ambiental do transporte de alimentos e deixa as cidades melhores de viver.
A empresa Solefood de Vancouver, Canadá está ocupando áreas urbanas com pouco uso. As áreas, geralmente asfaltadas, são cobertas com caixas de madeira cheias de solo orgânico. Veja uma imagem de um estacionamento da Vila Olímpica de Vancouver sendo invadidopor canteiros.
Resumindo: troque seu vaso de samambaia por um de salsinha.



APAVE - Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e RM na oficialização da Reserva Ambiental - RPPNM Bosque da Coruja em Curitiba

Propriedade particular vira reserva ambiental em Curitiba


Orlando Cini Júnior, Osvaldo Navarro Alves e o prefeito Luciano Ducci

O prefeito municipal de Curitiba, Luciano Ducci, oficializou dia 16 de maio a criação da RPPNM – Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal, Bosque da Coruja, no Pilarzinho. O evento contou com a participação do diretor da Cini Bebidas e presidente da APAVE – Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e RM, Orlando Cini Júnior.

O Bosque da Coruja pertence ao arquiteto Osvaldo Navarro Alves desde 1977 e é a quinta reserva da cidade a fazer parte deste projeto. A área é uma prova de que é possível morar bem sem desmatar e em uma casa se destaca pela forma peculiar que se integra à natureza. Para o arquiteto, esta parceria com o poder público é uma inovação em prol do meio ambiente e deve colocar Curitiba mais uma vez como referência para o mundo.

Segundo Orlando Cini Júnior, Curitiba tem 900 áreas com potencial para se tornar RPPNM. “Precisamos conscientizar os donos destas áreas verdes para participar e assim evitar a destruição da natureza. Estamos realizando um forte trabalho à frente da APAVE, para buscar melhores condições e incentivos aos proprietários que se preocupam com o meio ambiente”, diz.

Orlando Cini Júnior é um amante da natureza e proprietário da RPPNM Ecoville, que foi a segunda reserva particular da cidade.  A RPPNM tem como objetivo preservar a fauna e a flora das propriedades particulares que possuem mais de 70% de área coberta por vegetação nativa.
Os locais que passam a fazer parte da RPPNM contam com vários incentivos, entre eles a redução ou isenção do IPTU e a capacidade de comercializar o potencial construtivo da área.
Após a cerimônia, os convidados participaram de um coquetel com docinhos e gasosas da centenária Cini Bebidas, em uma casa também com mais de 100 anos no Bosque da Coruja.

|




quarta-feira, 16 de maio de 2012

RPPNM - Preservar a Natureza pode ser um bom negócio

MAIS UMA RESERVA NATURAL EM CURITIBA: RPPNM BOSQUE DA CORUJA


 O Prefeito de Curitiba Luciano Ducci, a Secretária Municipal do Meio Ambiente Marilze do Carmo Oliveira na inauguração da 5ª RPPNM Bosque da Coruja, propriedade do Arquiteto Osvaldo Navarro e esposa Maria José. 





Curitiba tem hoje cinco RPPNMs consolidadas e 23 em processo de implantação. A primeira foi criada em 2007, na área de preservação do Rio Cascatinha, na bacia do Barigui, e tem oito mil metros quadrados de floresta com araucária, além da mata ciliar.
O objetivo principal da RPPNM é proteger a fauna e a flora de uma propriedade com mais de 70% da área coberta de vegetação nativa. São áreas com restrições legais para corte de vegetação ou para construção. Os lotes são considerados de grande valor ambiental.
Para transformar uma propriedade em reserva particular, a solicitação deve ser feita à Secretaria Municipal do Meio Ambiente. O imóvel continua sendo do proprietário, mas o mecanismo traz inúmeras vantagens, como: direito à isenção do valor do terreno de bosque no cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU); possibilidade de transferência de 100% do potencial construtivo (aquilo que deixará de construir para conservar) para outras áreas da cidade que não tenham restrições ambientais e possibilidade de negociar o potencial construtivo com o mercado da construção civil.  http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/cidade-tem-potencial-para-ter-900-reservas-do-patrimonio-natural/26495#.T5boszagCmA.twitter

Biodiversidade
 

A RPPNM Bosque da Coruja é um importante remanescente florestal de Floresta com Araucária em ambiente urbano, onde é possível encontrar um elevado número de espécies de aves silvestres como o pavó  araponga, tucano-de-bico-verde,os sanhaçus, o saí-azul e espécies típicas da Floresta com Araucária, como a corujinha-do-mato e os jacus. È possível visualizar inúmeras plantas como as orquídeas, bromélias e cactos-de-árvore. Ainda é possível encontrar espécies frutíferas que alimentam os animais da região, como as aroeiras (Schinus terebinthifolia), canjaranas (Cabralea canjerana), caingás (Myrcia hatschbachii), pimenteiras (Capsicodendron dinisii) e, principalmente, a canela-sassafrás (Ocotea odorifera), que é uma espécie nacionalmente ameaçada de extinção.

Abaixo, reportagem Globo/Paraná TV sobre a criação da RPPNM Bosque da Coruja


http://g1.globo.com/videos/parana/paranatv-2edicao/t/curitiba/v/preservar-areas-verdes-em-curitiba-da-isencao-de-iptu/1948872/

domingo, 13 de maio de 2012

Redes de Desenvolvimento Local são reconhecidas por campanha da ONU

 A Airumã Estação Ambiental participa desta iniciativa da Rede de Desenvolvimento Local - Regional Santa Felicidade

 

"I'm a city changer" divulga iniciativas para o desenvolvimento de cidades em vários países




Iniciativa do Sesi Paraná foi reconhecida pela campanha “I’m a city changer”, realizada pela ONU-Habitat (Foto: Reprodução)
As Redes de Desenvolvimento Local e a metodologia utilizada para desenvolver localidades de todo o estado agora podem servir de exemplo para o mundo todo. A iniciativa do Sesi Paraná foi reconhecida pela campanha "I'm a city changer", realizada pela ONU-Habitat, agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que busca diferentes iniciativas de sensibilização para os problemas sociais gerados pelas cidades.
A campanha ajuda a divulgar iniciativas do mundo inteiro, sejam elas criadas por instituições, órgãos públicos e até individualmente. A Rede de Desenvolvimento Local é uma das 30 iniciativas selecionadas, juntamente com projetos de cidades como Medellin na Colômbia, Nova Iorque nos Estados Unidos e Berlim na Alemanha. Todas as iniciativas buscam desenvolver cidades, visando à sustentabilidade como ponto principal.
A campanha pode ser conferida no site www.imacitychanger.org.



quinta-feira, 10 de maio de 2012

A bióloga Bianca Reinert e a ambientalista Terezinha Vareschi foram as primeiras paranaenses selecionadas pelo programa E-Cons – Empreendedores da Conservação, uma iniciativa da SPVS.

 Foto Lucas Pontes - SPVS


                                


Bicudinho do Brejo
















Dupla verde 1
A bióloga Bianca Reinert e a ambientalista Terezinha Vareschi foram as primeiras paranaenses selecionadas pelo programa E-Cons – Empreendedores da Conservação, uma iniciativa da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem (SPVS) com o patrocínio do banco HSBC. No total, seis pessoas foram escolhidas em todo o Brasil como potenciais empreendedores da causa ambiental.
  

Dupla verde 2
 Bianca ficou famosa por descobrir, entre Pontal do Sul e Matinhos, o bicudinho-do-brejo, uma ave que só aparece no Litoral paranaense. Com a ajuda de quatro amigos, ela comprou uma área na região para ajudar a conservar o pássaro. Terezinha criou a APAVE-Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba para estimular a conservação em ambientes urbanos.
As duas, como os demais selecionados, receberão apoio financeiro das duas instituições para ampliar sua atuação e servirem de exemplo para outras regiões do país.

Para conhecer mais sobre o Programa E-CONS acesse: www.programaecons.org.br


FONTE: http://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?tl=1&id=1253056&tit=Em-busca-da-concordia-final 

APAVE: Mais uma RPPNM em Curitiba será inaugurada em maio de 2012

 

 

 

 

 

Nova Reserva - RPPNM 

Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal

9 mai 2012 - 10:18
por Paulo Ferraz

A primeira iniciativa foi a  RPPNM (Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal) Cascatinha, do Engenheiro Eurico Borges, proprietário da Construtora Conceito e Moradia. Foi criada em 2007 em Curitiba. É a primeira do Brasil.  

Na próxima quarta-feira (16), o Arquiteto Osvaldo Navarro, ex- presidente do IPPUC, terá sua área reconhecida pela Prefeitura como a quinta RPPNM em Curitiba. 

A capital do Paraná tem pelo menos 600 áreas potenciais de matas preservadas na região de Curitiba, verdadeiros pulmões urbanos, que poderão transformar-se em RPPNMs.  

APAVE-Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba, recentemente criada, vem fazendo um trabalho com a SPVS-Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental e o Grupo de Trabalho pela Preservação das Matas de Curitiba para que as mudanças na Lei da RPPNM possam beneficiar os que preservam.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

E-CONS: Empreendedores da Conservação

E-CONS - Empreendedores da Conservação: Terezinha Vareschi

Com muito orgulho estou entre as primeiras seis pessoas escolhidas a nível nacional para inaugurar o Projeto E-CONS: Empreendedores da Conservação, categoria E-CONS Urbano. 
O Projeto é uma iniciativa da SPVS- Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental e seleciona pessoas que apresentam soluções inovadoras para cuidar e preservar a natureza. 
Além do fomento às ações conservacionistas, o Programa também prevê o fortalecimento das características de empreendedorismo dos candidatos apoiados, auxiliando a potencializar o seu trabalho em longo prazo, e ampliando os resultados de Conservação do Patrimônio Natural. 
Para saber mais acesse:

E-CONS: Empreendedores da Conservação

 A Airumã Estação Ambiental, por intermédio da E-CONS Terezinha Vareschi participa deste projeto!



A SPVS - Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental está com um novo projeto, de atuação nacional, o Programa Empreendedores da Conservação, E-CONS! 



  Esta é uma iniciativa que tem a finalidade de apoiar pessoas que fazem a diferença em ações voltadas à conservação da natureza. Para o lançamento do Programa já foram apoiados seis empreendedores, sendo um em cada Bioma do Brasil.
 "A nova iniciativa da SPVS é demais!!! Apoiar quem faz a diferença em conservação da natureza na prática e não mede esforços para que nossa biodiversidade seja preservada é o objetivo do Programa Empreendedores da Conservação, o E-CONS. Além do fomento às ações conservacionistas, o Programa também prevê o fortalecimento das características de empreendedorismo dos candidatos apoiados, auxiliando a potencializar o seu trabalho em longo prazo, e ampliando os resultados de Conservação do Patrimônio Natural. Click no link, visite o portal e venha fazer parte dessa ação pioneira você também!" Angela Kuczack -SPVS

sábado, 5 de maio de 2012

APAVE- Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e RM participa do "Plano Municipal de Recuperação e Preservação da Mata Atlântica de Curitiba."

Representando a APAVE - Associação dos Protetores de Áreas Verde de Curitibe e RM, participamos nesta sexta-feira, 04 de maio no Auditório da SMMA, da Oficina de Visão do Futuro, coordenada pelo MATER NATURA – Instituto de Estudos Ambientais e MARAIBI Consultoria Ambiental.
Esta atividade é uma etapa da "Elaboração do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de Curitiba".


sexta-feira, 4 de maio de 2012

TEMAZCAL DAS ESTRELAS NA AIRUMÃ ESTAÇÃO AMBIENTAL

Com muitos cantos e rezos, vamos nos permitir brilhar cada vez mais feito estrelas aqui nesta vida... na nossa tão amada Mãe Terra!!! 




* Mulheres entram de biquini/maiô e vestido/saia/canga.
**  Homens de calção/bermuda.
*** Levar também toalha de banho para se secar ao final da cerimônia e muda de roupa seca.
**** Pessoas sem condução, por favor, entrar em contato para combinar carona solidária.
 

Aha!!! Metaquiaze!!!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

A participação da Airumã/APAVE no Programa "Nossa História - Meio- Ambiente" na E-Paraná

 Amigos, o Programa já aconteceu e foi muito bom! Deixamos aqui como registro das ações que estamos empenhados, nós da Airumã Estação Ambiental, a APAVE - Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e RM  e demais participantes do programa, em defesa da biodiversidade de nossas matas nativas!




"Segue nossa foto do programa "Nossa História - Meio- Ambiente" que irá ao ar no sábado, dia 28 de abril, ás 19:00 horas pela rádio E-Paraná am 630  e terá reapresentação no domingo, dia 29 às 8:00 da manhã.
Pela internet, o programa poderá ser ouvido em todo o Brasil e exterior acessando, nesses mesmos dias e horários :
www.e-parana.pr.gov.br
e clicando no link "rádio am 630 ao vivo".

Obrigada pela presença!

Atenciosamente,


Zélia Sell
www.nossahistoriaam630.blogspot.com

terça-feira, 1 de maio de 2012

SPVS recebe homenagem do Governo do Estado por inspirar criação da Lei de Pagamento por Serviços Ambientais






 A SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental) recebeu o certificado Bioclima, pela iniciativa de inspirar, atuando junto a instituições privadas e proprietários de áreas naturais preservadas, a criação da lei estadual de Pagamento por Serviços Ambientais, lançada na noite de terça-feira (24), pelo Governo do Estado e parte integrante do programa Bioclima. 

O evento contou com a participação do governador Beto Richa, do secretário executivo da convenção da diversidade biológica, Bráulio Dias e de autoridades nacionais e internacionais ligadas à biodiversidade e preservação ambiental. 

Desde 2003, em parceria com empresas como HSBC e Posigraf (Grupo Positivo), a SPVS ajuda a viabilizar projetos de conservação de áreas que possuem ecossistemas ameaçados, em especial as florestas com Araucárias.

Atualmente, são 3.970 hectares preservados em 27 regiões protegidas do Paraná e Santa Catarina.