segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Cartilha orienta como preservar e ganhar dinheiro com pinheiro!

09/08/2015 07h30 - Atualizado em 09/08/2015 09h00

Cartilha orienta como preservar e ganhar dinheiro com pinheiro

Das 399 cidades do Paraná só 180 têm pinheiros. 
E conheça a Araucária de 800 anos que fica nos Campos Gerais.

Do G1 PR
Para cortar um Pinheiro órgãos ambientais precisam autorizar. Dos 399 municípios do Paraná apenas 180 têm Pinheiros. A espécie corre risco de extinção e a fiscalização é bastante rígida no estado.
Para incentivar a produção a Emater, Iap, Sema e Ministério Público elaboraram uma cartilha que traz orientações sobre como explorar a Araucária, sem prejudicar o manejo ou degradar o meio ambiente. " Ela coloca a importância das áreas protegidas por lei. Sendo uma árvore produtora de alimentos que é o pinhão", fala Ednei Bueno do Nascimento, agrônomo da Caopma. 
Para Henrique Salgado o Pinheiro é uma importante fonte de renda. Cultivar a árvore é uma tradição de família. O pai do agricultor começou  o cultivo. Hoje quem colhe os frutos são os herdeiros. 

A Reserva Airumã é uma UC - Unidade de Conservação em área urbana!

A Reserva Airumã é uma UC- Unidade de Conservação em área urbana que juntamente com mais 16 RPPNMs- Reservas Particulares do Patrimônio Natural Municipal, somam mais de 140 mil m² de florestas preservadas para todo o sempre em Curitiba. Já pararam prá pensar os benefícios que elas trazem prá população da cidade?

Reservas biológicas, estações ecológicas, parques nacionais e estaduais e reservas particulares são algumas das modalidades de Unidades de...
GAZETADOPOVO.COM.BR

O Secretário do Meio Ambiente do Paraná conhece RPPNMs em Curitiba.

O Secretário do Meio Ambiente do Paraná conhece RPPNMs em Curitiba



Em frente à Vovó Airumã na RPPNM Airumã


Em frente à RPPNM Cascatinha
O secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ricardo Soavinski, visitou duas RPPNMs (Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal), localizadas no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba. 
A visita foi um convite dos proprietários e membros da APAVE (Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e Região Metropolitana). “É de extrema importância o modelo de RPPNs em que áreas de preservação de remanescentes estão contidas dentro de áreas urbanas. Modelos que poderiam ser seguidos por outros estados e que começou na gestão do então prefeito de Curitiba, o atual governador, Beto Richa”, disse Ricardo Soavinski. 

A Airumã Estação Ambiental foi a primeira reserva visitada. Dos 36 mil metros quadrados, 80% são de área de mata com araucária. “Nada do que tem aqui pode ser mexido, então para garantir que ninguém vai nunca cortar ou construir aqui, optei por transformar em uma RPPNM. Isso me dá um imenso orgulho”, diz Terezinha Vareschi, dona da propriedade. 

A Reserva Cascatinha, também visitada por Soavinski, tem 8 mil metros quadrados, e além da mata com araucária, protege ainda a mata ciliar do rio Cascatinha, Bacia do Rio Barigui. O proprietário Eurico Borges dos Reis fez o levantamento da biodiversidade existente no local e encontrou animais e plantas raros na cidade, como a lontra.

“A proteção dessas RPPNMs possibilita benefícios para os serviços ambientais que são desenvolvidos com a sociedade. Isso é excelente”, afirma a coordenadora de Biodiversidade e Florestas da Secretaria, Sueli Ota, que acompanhou as visitas junto com o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Guilherme Vasconcelos. 

RPPNs - O município de Curitiba foi pioneiro ao instituir, em 2007, em sua legislação municipal a criação de Reserva Particular do Patrimônio Natural Municipal como mecanismo de conservação da diversidade biológica nas propriedades particulares urbanas cobertas por vegetação nativa em bom estado de conservação. Atualmente a cidade conta com mais de 10 áreas de RPPNM.